24 de nov de 2011

As lavadeiras fazem assim....




“As lavadeiras fazem assim . . .”
EM MUITOS países, tais palavras são bem familiares a gerações de crianças que, entusiasticamente, as tem cantado e dançado conforme esta famosa rima infantil. Mas, se a idéia de lavar roupa dificilmente faz a leitora ou o leitor pular de alegria, considere o seguinte: Depois dum banho de chuveiro ou de banheira, não é revigorante enxugar-se com uma toalha fofa, recém-lavada? Que homem não se sente mais asseado e confortável ao usar roupas limpas? Ora, até mesmo as crianças parecem ter prazer em usar roupas limpas e cheirosas — mesmo que seja por bem pouco tempo!
Lavar a roupa é, assim, muito mais importante para nossa vida e nosso bem-estar do que muitas vezes nos damos conta. No entanto, o modo como lavamos nossas roupas pode depender de onde vivemos no mundo.
Lavar sem Máquinas de Lavar
Em muitos países ricos, as palavras “lavar roupa” se tornaram inseparavelmente ligadas à palavra “máquina”. Nos países mais pobres, porém, lavar roupa é, com freqüência, algo ainda feito a mão, e com resultados surpreendentemente bons! Tome, por exemplo, aquelas roupas brancas, difíceis de lavar. Nos países de clima quente e seco, as mulheres aproveitam o sol.
O processo é simples. Enche-se uma bacia de água e de generosa quantidade de sabão ou de detergente. As peças brancas são mergulhadas na água e as mãos da lavadeira laboriosa agitam vigorosamente a água, forçando a água ensaboada a penetrar no tecido. Caso não haja disponibilidade de alvejantes comerciais, algumas usam outros alvejantes consagrados pelo uso, tais como vinagre de coco. Daí, depois de rápida enxaguada, as roupas molhadas são colocadas sobre convenientes arbustos ou cercas, e ficam quarando até se tornarem imaculadamente brancas. Então, são novamente postas na bacia para muitas enxaguadas e uma segunda secagem, sob o quente sol tropical. Com que resultado? Tecidos brancos que reluzem com jovial limpeza!
Uma dona-de-casa que more perto dum rio ou dum riacho talvez experimente um método um pouquinho diferente. Primeiro, ela escolhe um bom local, tal como um barranco do rio que desce suavemente em direção à água. Se o rio corre rápido, porém, ela é cuidadosa de escolher um recesso tranqüilo em que exista pouco perigo de suas roupas serem levadas pela correnteza. Há, ali perto, uma pedra grande? Muito bem. A dona-de-casa usa então uma espátula de madeira para bater a roupa molhada contra a rocha. A sujeira é literalmente expulsa do tecido.
Máquinas de Lavar — No Passado e no Presente
Nos países abastados, a lavagem de roupa a máquina tem praticamente eliminado a lavagem manual. Mas as máquinas de lavar remontam a mais tempo do que talvez se de conta. Na Idade Média, na Europa, a tina era o meio popular de lavar roupa, até que foi gradualmente substituída pela caldeira a vapor. Mais tarde, no século 19, surgia uma máquina de lavar roupa parecida com seu correspondente moderno. Em 1830, uma lavanderia inglesa usava um cilindro rotativo que jogava as roupas em água quente com sabão. Este método básico permaneceu imutável até os dias de hoje.
Entretanto, a máquina de lavar roupa não pegou com facilidade. As usuárias verificavam que a manivela era dura demais, tanto para a roupa como para a pessoa que a girava. Assim, já no fim do século 19, a tábua de bater roupa, a tina e o espremedor manual eram o equipamento preferido de muitas donas-de-casa.
A máquina de lavar, porém, ressurgiu em 1910, com o aparecimento da primeira máquina movida a energia elétrica. Doze anos depois, surgiu em cena a primeira máquina do tipo que agita as roupas. Desde então, incontáveis aprimoramentos e ajustes foram feitos nas lavadoras. Algumas empresas até começaram a comercializar máquinas controladas por computador que, ao apertar dum botão, “determinam quão sujas estão suas roupas e então seleciona o detergente e o método de lavagem ideais”. — Popular Science (Ciência Popular), de julho de 1990.
Dicas de Como Usar as Lavadoras
A lavadora automática padrão é comum em muitas casas ocidentais. “Automática”, contudo, não significa que possa ser usada sem os devidos cuidados. Por exemplo, nas lavadoras com abertura na parte superior, uma quantidade de roupa não distribuída uniformemente pode fazer com que a máquina deslize pelo chão nos ciclos de agitar, provocando toda espécie de estragos em sua lavanderia. É possível que se formem gases perigosos, caso empregue alvejantes que contenham cloro misturado com amônia. Assim, siga as recomendações básicas de segurança. Não enfie as mãos na máquina até que ela pare por completo. Desligue-a da tomada, antes de tentar fazer qualquer manutenção. E não permita que seus filhos operem ou brinquem com sua lavadora.
Mas, como pode ter certeza de obter resultados satisfatórios quando coloca certa quantidade de roupas para lavar? 
Eis aqui algumas sugestões básicas:
□ Esvazie todos os bolsos, virando-os ao avesso.
□ Abaixe os punhos, e retire com uma escova a sujeira solta.
□ Amarre cordões e cintos de tecido, de modo que não se embaralhem uns nos outros.
□ Feche os zíperes, fechos de pressão e ganchos, de modo que não agarrem outros itens.
□ Procure remover manchas e nódoas antes da lavagem da roupa.
□ Não sobrecarregue a máquina. Isto poderá resultar numa lavagem ineficaz, deixar o tecido mais amassado, provocar mais fiapos e desgastar sua roupa.
Admitidamente, muitos ainda têm de lavar roupa no estilo antigo — a mão. Mas, quer sua máquina de lavar seja uma tina de metal, um riacho d’água, quer seja uma maravilha mecânica computadorizada, os resultados podem fazer valer os seus esforços — roupas limpas e brilhantes para si e sua família, bem como a satisfação de um trabalho bem feito!

Fonte: G91 22/1

Um comentário:

  1. Adorei passear no seu Blog...cheio de idéias e fotos caprichadas!
    Parabéns pelo Blog e pelo Post!
    Bjs
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir